Homem extremamente musculoso levantando um peso num braço.

Vigorexia: Quando a busca pelo corpo perfeito torna-se doença

O que é?

Homem musculoso medindo o braço com uma fita métrica. Vigorexia.

A Vigorexia (Transtorno Dismórfico Muscular ou Síndrome de Adonis) é uma doença psicológica gerada pelo descontentamento frequente com o próprio corpo, em que o indivíduo se vê muito fraco e magro, mesmo que ele seja forte e tenha músculos bem desenvolvidos. O transtorno costuma aparecer em homens de 18 a 35 anos e a doença leva à prática exaustiva de atividades físicas, sempre aumentando a carga e à preocupação excessiva com a alimentação e o uso de anabolizantes, que podem provocar riscos a saúde.

Causas da Vigorexia

  • Acredita-se que a vigorexia está ligada à alguma alteração associada aos neurotransmissores do sistema nervoso central, devido a alguns casos do transtorno já terem sido procedidos de doenças como encefalite ou meningite.
  • Adoção de algumas pessoas por um padrão de corpo, e, com isso, acabam tornando-se obcecadas com exercícios e alimentação, com a finalidade de atingir o corpo que consideram ideal.

Sintomas

  • Extremo cansaço
  • Dor muscular persistente em todo o corpo
  • Insônia
  • Depressão
  • Anorexia/Dieta muito restritiva
  • Irritabilidade
  • Sentimento de inferioridade
  • Aumento da frequência cardíaca ao repouso
  • Menor desempenho durante a relação sexual

Geralmente, indivíduos com anorexia mantêm uma dieta restritiva e não consomem gorduras, tendo uma alimentação totalmente voltada para o consumo de alimentos que são ricos em proteínas, para aumentar a massa muscular. As pessoas com vigorexia também costumam exagerar no uso de suplementos proteicos e anabolizantes. Além do tempo exagerado passado na academia, elevando sempre a carga dos exercícios.

Anabolizantes

Homem musculoso segurando o pote de anabolizantes numa mão e os comprimidos dele na outra mão. Vigorexia.

Os principais efeitos dos anabolizantes são o aumento de músculos e ossos, e são usados principalmente por pessoas que praticam exercícios físicos, para aumentar a massa muscular ou para fins estéticos. Mas os anabolizantes são hormônios sintéticos e apresentam diversos efeitos colaterais, portanto, e só devem ser utilizados quando houver necessidade de reposição de hormônios, e sempre com acompanhamento médico.

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns dos anabolizantes são: aumento da agressividade, mudanças de humor, surgimento de alucinações, paranoias ou psicoses, problemas no funcionamento do fígado, aumento da pressão arterial, coágulos no sangue, aumento da acne, retenção de líquidos, aumento da probabilidade do aparecimento de câncer no fígado e aumento da probabilidade do surgimento de doenças cardíacas como arritmias ou infarto. Em mulheres, os anabolizantes podem gerar efeitos colaterais como redução das mamas, menstruação irregular, aumento dos pelos do corpo e do tamanho do clitóris e aumento da gravidade da voz.

Consequências

A vigorexia provoca diversas consequências para o organismo da pessoa, especialmente referentes ao uso contínuo e frequente de suplementos alimentares proteicos e hormônios esteroides anabolizantes, como problemas de circulação, insuficiência hepática e renal, ansiedade, depressão, câncer de próstata e redução do testículo, o que pode prejudicar a fertilidade masculina.

Conheça a dieta Dukan.

Como tratar?

Mulher na terapia com o psicólogo anotando no caderno.

O tratamento para vigorexia é multidisciplinar, com o acompanhamento de um médico, um psicólogo, um nutricionista e profissionais da educação física, por exemplo. Caso a pessoa use anabolizantes, é preciso o acompanhamento de um endocrinologista para suspender o uso dos esteroides imediatamente.

A psicoterapia é fundamental no tratamento da vigorexia, para o paciente aceitar o seu corpo como ele é e aumentar a sua auto-estima. Além do psicólogo incentivar comportamentos sadios, auxiliar o paciente a confrontar a sua aversão em expor o seu corpo, e enfrentar os padrões corporais alcançáveis e inalcançáveis. Deve-se iniciar uma alimentação balanceada, orientada por um nutricionista. As atividades físicas não devem ser interrompidas, porém devem ser feitas com a orientação de um profissional da educação física.

Os remédios antidepressivos inibidores da recaptação de serotonina podem ser úteis para diminuir a compulsão e a obsessão observada na vigorexia. Eles também podem ser usados em casos de depressão. O sucesso do tratamento depende bastante de uma boa relação entre os profissionais e o paciente.

https://www.ingentaconnect.com/content/doaj/15178692/2013/00000019/00000005/art00015

https://repositorio.unesp.br/handle/11449/120718

https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/22466/2/38409.pdf

Deixe uma resposta