Homem comendo um pão com a geladeira aberta durante a noite.

Saiba mais sobre o Transtorno Alimentar Noturno

O que é?

O Transtorno Alimentar Noturno ou Síndrome do Comer Noturno é caracterizado principalmente pela ausência de refeições durante o dia, com o consumo exagerado de comida principalmente após as 18 horas. Além disso, a pessoa evita refeições durante o dia, especialmente pela manhã. O indivíduo também sente insônia, o que o leva a comer pela noite. O distúrbio é provocado pelo estresse e costuma surgir em pessoas com excesso de peso e quando os problemas melhoram, o transtorno tende a sumir.

Esse transtorno atinge de 1 a 3% de toda a população e pode ser classificado tanto como distúrbio do sono quanto distúrbio alimentar. Costuma afetar principalmente mulheres e pode surgir também durante a infância e a adolescência.

Sintomas

Homem pegando comida com a geladeira aberta durante a noite. Transtorno Alimentar Noturno.

  • Acordar pelo menos uma vez durante a noite para comer.
  • Apresentar dificuldades para pegar no sono ou continuar dormindo.
  • Comer mais entre as 22 horas e 6 horas da manhã, do que durante o dia.
  • Sentir mau-humor constante, que piora no final do dia.
  • Não sentir fome o suficiente para tomar o café da manhã.
  • Não conseguir controlar o apetite entre a janta e a hora de dormir.
  • Apresentar dificuldades para perder peso ou fazer alguma dieta corretamente.

Diagnóstico

O Transtorno Alimentar Noturno pode ser facilmente identificado, pela falta de alimentos na geladeira ou pelas refeições noturnas feitas conscientemente. O médico ou o psicólogo avalia os sintomas comportamentais do paciente. Além disso, o médico pode pedir exames que dosam os hormônios Melatonina e Cortisol. Em pacientes com o transtorno, os níveis de melatonina encontram-se baixos, e é o hormônio responsável pelo sono durante a noite e os níveis de cortisol encontram-se altos, esse é o hormônio do estresse.

Nesse distúrbio não há comportamentos de compensação, como na bulimia, em que o indivíduo força o vômito para compensar o excesso de comida consumida.

Causas

  • Estresse
  • Transtornos de ansiedade
  • Depressão

Estresse

Transtorno Alimentar Noturno. Homem com fumaça saindo das duas orelhas, representando o estresse.

O estresse está relacionado a elevação dos níveis de cortisol no sangue, e esse aumento pode levar a doenças físicas como tensão muscular e alergias. O estresse costuma aparecer mais em adultos, mas pode surgir em adolescentes também, em virtude de problemas como separação dos pais, bullying na escola ou doença na família. Os principais sintomas são:

  • Queda de cabelo em excesso
  • Tensão Muscular
  • Insônia
  • Dor de cabeça
  • Tontura
  • Problemas de memória e concentração
  • Impaciência
  • Sensação de perde de controle
  • Angústia, nervosismo, ansiedade ou preocupação em excesso
  • Problemas de pele, como acne
  • Mãos frias e suadas
  • Facilidade em ficar doente

Uma das coisas fundamentais para uma recuperação boa é procurar um psicólogo, para que ele possa ensinar técnicas para lidar com os problemas e superar o estresse. Uma boa medida é praticar exercícios físicos com frequência, como dança, corrida e artes marciais, pois isso distrai a mente e libera endorfinas no sangue, proporcionando o bem-estar.

Tratamento

Mulher e homem correndo no parque.

O tratamento é feito com um acompanhamento psicoterápico e com o uso de remédios de acordo com a prescrição médica, que podem incluir suplementação de melatonina e antidepressivos. Além disso, também é preciso o acompanhamento com um nutricionista e a prática de atividade física, pois o exercício físico praticado com frequência é melhor modo natural de melhorar a produção dos hormônios de bem-estar e que controlam o sono e a fome.

Distúrbios Alimentares. O que são?

Como prevenir?

Para prevenir o Transtorno Alimentar Noturno, deve-se seguir algumas recomendações:

  • Alimentar-se corretamente durante o dia, sem pular refeições.
  • Praticar atividade físicas com o acompanhamento de um profissional para aliviar o estresse e melhorar a saúde.
  • Procurar um nutricionista para auxiliar com um plano alimentar.
  • Priorizar dormir bem, pois o sono é fundamental para o bem-estar físico, psíquico e emocional.
  • Caso você se sinta angustiado, ansioso ou deprimido, buscar ajuda profissional com um psicólogo ou psiquiatra.
  • Evitar vícios como cigarro, álcool e açúcar.
  • Caso você se identificar com o quadro do transtorno, procurar ajuda de um profissional, pois é possível mudar a situação.
  • Lembre-se: Não sinta vergonha de se cuidar, em alguns casos não é possível vencer questões internas sozinho e isso não quer dizer fraqueza!

https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/69912

http://www.psiquiatriafmusp.org.br/pg/userfiles/Dissertacoes%20e%20Teses/2010/Mestrado/disserta%C3%A7%C3%A3o%20Alexandre.pdf

Deixe uma resposta