Um parto vazio com um ponto de interrogação no meio com um garfo r uma faca dos lados.

Distúrbios alimentares: Saiba o que são e conheça seus tipos

O que são transtornos alimentares?

Transtornos alimentares são caracterizados por modificações na forma de alimentar-se, geralmente em virtude de uma preocupação excessiva com a aparência do corpo e com o peso. Eles costumam apresentar características como usar laxantes com frequência, passar várias horas sem comer e evitar sair para comer em lugares públicos.

Os transtornos alimentares podem gerar graves problemas de saúde, como problemas no coração, nos rins e até mesmo a morte. Geralmente, surgem em mulheres, principalmente durante a adolescência e costumam estar associados a problemas como depressão, ansiedade e uso de drogas.

Tipos

Bulimia

Mulher com a mão na frende do vaso com a tampa levantada.

A bulimia é um transtorno alimentar caracterizado por frequentes episódios de compulsão alimentar, em que há um grande consumo de comida, seguido de comportamentos compensatórios como usar diuréticos e laxantes, forçar o vômito, praticar exercícios físico em peso e ficar sem comer.

Os principais sintomas são problemas gastrointestinais, comer muito escondido, praticar muita atividade física, desidratação, refluxo gástrico, inflamação crônica na garganta, sensibilidade nos dentes e cáries. E o tratamento é feito com acompanhamento psicológico para reverter o comportamento em relação a comida e um acompanhamento nutricional, para a pessoa ser orientada sobre a adequação da dieta e sobre o equilíbrio dos nutrientes. Também pode ser preciso utilizar-se medicações para o controle de vômitos e da ansiedade.

Anorexia

Mulher magra encolhendo a barriga na frente do espelho com o reflexo de uma mulher obesa.

A anorexia ou anorexia nervosa é um distúrbio alimentar em que a pessoa sempre enxerga o seu corpo com excesso de peso, mesmo que ela esteja com baixo peso, ou até mesmo, com desnutrição. A principal característica é qualquer rejeição a comida. Há um medo excessivo de ganhar peso e uma preocupação excessiva em emagrecer.

Os principais sintomas são não comer para não engordar, evitar comer em público, contar as calorias antes de comer, olhar-se no espelho e se sentir gordo, tomar remédios para emagrecer e praticar atividades físicas em excesso. O tratamento para anorexia é feito principalmente com psicoterapia, para melhorar o comportamento do paciente em relação ao próprio corpo e a comida, e pode ser preciso o uso de remédios para depressão e ansiedade. Também é preciso um acompanhamento nutricional, para orientar uma alimentação saudável e o uso de suplementos alimentares para superar a carência de nutrientes no corpo.

Vigorexia

Homem musculoso segurando uma barra de ferro de academia.

A vigorexia (Síndrome de Adonis ou transtorno dismórfico muscular) caracteriza-se pela obsessão com o “corpo perfeito”, que leva a prática exagerada de exercícios físicos. Os principais sintomas são a prática de atividade física até a pessoa ficar exausta, preocupação exagerada com a alimentação, dor muscular, insônia, uso exagerado de suplementos alimentares, cansaço extremo e irritabilidade. O tratamento é realizado com psicoterapia, para que a pessoa aceite seu corpo e aumente a sua auto-estima e com acompanhamento nutricional para haver uma orientação apropriada em relação a prescrição de uma alimentação indicada para os treinos e em relação ao uso de suplementos.

Ortorexia

Mulher com uma lupa apontando para um prato de salada.

A ortorexia é um transtorno alimentar em que a pessoa tem uma obsessão com a comida, em que ela é obcecada com alimentos saudáveis, e possui um controle extremo sobre as calorias e a qualidade da comida e tem uma preocupação exagerada em comer sempre de forma correta. Os principais sintomas de ortorexia são o planejamento rigoroso das refeições, evitar comer fora de casa, estudar bastante sobre alimentação saudável e evitar alimentos ricos em açúcares e gorduras e alimentos processados. O tratamento é feito com com acompanhamento psicológico e médico, para que o indivíduo entenda que pode ser saudável sem precisar restringir a sua alimentação.

Compulsão Alimentar

Homem comendo salgadinhos com uma mão cheia deles e um hambúrguer na outra mão.

A compulsão alimentar caracteriza-se principalmente por atos constantes de comer excessivamente, mesmo quando não há fome. A pessoa perde o controle sobre o que comer, mas não há comportamentos compensatórios como o uso de laxantes e vômitos. Os principais sintomas são dificuldade para parar de comer, comer intensamente mesmo sem fome, comer muito rápido, ter excesso de peso e o consumir alimentos estranhos como feijão gelado e arroz cru, por exemplo. O tratamento é realizado com acompanhamento psicológico para auxiliar na identificação das causas da compulsão alimentar, para reaver o controle sobre a comida e com um acompanhamento nutricional para controlar o peso e os problemas que podem ter surgido devido ao transtorno alimentar, como gordura no fígado e colesterol alto.

Transtorno Alimentar Noturno (Síndrome do Comer Noturno)

Mulher comendo bolachinhas de água e sal na frente da geladeira com a porta aberta.

A principal característica desse distúrbio alimentar é a falta de apetite pela manhã, que é compensada por um grande consumo de comida durante a noite, acompanhada pela insônia. Os principais sintomas são a falta de apetite durante o dia, comer pouco ao longo do dia, acordar durante a noite para comer, não lembrar que comeu pela noite e ter excesso de peso. Para tratar o distúrbio, é feito uma psicoterapia junto com o uso de medicações para regular o sono, e quando preciso, são usados antidepressivos.

Síndrome de Gourmet

Mulher comendo uma comida decorada.

A Síndrome de Gourmet é um distúrbio alimentar raro que caracteriza-se principalmente por uma preocupação elevada em relação à preparação da comida, desde a compra dos ingredientes para prepará-la até a forma em que a comida vai ser servida no prato. Os principais sintomas desse distúrbio são ter muito cuidado ao preparar os alimentos, passar bastante tempo na cozinha, servir pratos exageradamente decorados, o consumo frequente de pratos especiais e exóticos, e a obsessão com a qualidade dos ingredientes comprados. O tratamento é realizado com psicoterapia, e quando o distúrbio leva ao excesso de peso, é preciso também o acompanhamento de um nutricionista.

E a obesidade?

Médico medindo a barriga de um paciente obeso com uma fita métrica.

A obesidade não é considerada um distúrbio alimentar. Ela tem um forte componente ambiental, cultural, social e genético. Algumas pesquisas mostraram que de fato pessoas com excesso de peso, comem mais do que pessoas que estão com o peso normal, porém a quantidade de comida consumida é proporcional à sua maior massa corporal magra. Então, pessoas obesas comem de acordo com às suas maiores dimensões corporais. Porém, há algumas pessoas obesas que apresentam padrões anormais de alimentação (transtorno alimentar noturno e compulsão alimentar).

http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?id_materia=5090&fase=imprime

http://www.luzimarteixeira.com.br/wp-content/uploads/2009/11/imagem-corporal-no-transtorno-alimentar.pdf

Deixe uma resposta